domingo, 30 de maio de 2010

Fofodramas da vida real

Você provavelmente já deve ter ouvido falar sobre o filme Dream Girls, que traz Beyoncé como uma das protagonistas, e nasceu a partir do musical da Broadway de mesmo nome. Já menos glamuroso, cito o filme brasileiro Antônia, que surge do seriado de mesmo nome da TV Globo, e traz como uma de suas protagonistas Negra Li. Saindo dessa linhagem de filme-musical, menciono Daddy Day Care, cujo protagonista é Eddie Murphy. Você deve estar se perguntando: "ok, e o que eles tem a ver?" - Pois bem, são três histórias que tratam de grupos de amigos(as) em busca do sucesso, nas quais há conflitos, altos e baixos da história, etc.
Não é preciso ser um analista de mercado para perceber um traço além disso em comum entre as três películas: há sempre a personalidade mais forte, que "puxa" os outros quando tudo parece prestes a desmoronar; há aquele mais mau-humorado, pessimista; há o mais inseguro, que embora tenha medo, tem seu amigo como alicerce, para apoiar-se. Receita que funciona, na maioria das vezes. Mas não só nos filmes, também na vida real!


Ahhh, é claro! Quase esqueci de mencionar o Marley. Marley? Que Marley? O cãozinho, claro. Quem passou os últimos tempos nesse planeta deve ter ouvido falar sobre o filme Marley e Eu, baseado no livro de John Grogan, que retrata a vida de um casal que adota um cão muito levado, "o pior cão do mundo" (como mencionado inúmeras vezes), mas de incondicional lealdade e coração puro. Quem não chorou ao assistí-lo que atire a primeira pedra!
Não é coincidência que esse mercado de filmes "fofodramáticos" - acabei de inventar isso -, uma mistura de comédia, momentos fofos, outros de superação e um pouco de drama, retratem tão bem o cotidiano de nossas vidas, fazendo com que nos identifiquemos com os personagens, situações, sentimentos e conflitos por eles vividos. Faz parte, de certa forma, da teoria dos usos e satisfações, que nada mais é do que a explicação do motivo pelo qual consumimos tal produto (no caso, os filmes), e por que nos autoprojetamos em personagens ou momentos dele ao assistí-lo.

Aonde eu queria chegar ao mencionar, especificamente, esses 4 filmes? No assunto central deles: a amizade. Embora tão distintos entre si, sua moral, a meu ver, é a mesma: se você tem amigos, preserve-os. Serão eles que irão te ajudar quando precisares e estarão contigo em busca do sucesso, não importa se há conflitos, desentendimentos, mágoas e até distância - essas características do "fofodrama" que eu mencionei ali acima. Laços de amizade sólidos permanecem pra sempre.
Tudo bem que não há uma regra acerca de amizade verdadeira. Só nós somos capazes de "julgar" quem são os nossos amigos de verdade, os merecedores da nossa tão preciosa amizade.
Por outro lado, nem sempre temos bom senso em estabelecer se nós mesmos somos merecedores da amizade alheia, e aí é que está o ponto. Como nos filmes, há aquele que procura resolver quaisquer mal-entendidos, mas nem sempre é compreendido. Há aquele que sempre discorda. Há também um para cada característica, ou o mesmo para todas elas juntas. São personagens, querendo ou não, da vida real, embora vivam realidades totalmente fantasiosas... Enfim, dei voltas e voltas só pra dizer: valorize seus amigos - sejam eles pessoas ou bichinhos -, eles são um bem muito precioso nas vidas de todos nós. :)

Um comentário:

  1. Luli, me surpreendendo a cada dia... Amei o fofodrama rsrsrs beijuuusssssssss

    ResponderExcluir