quinta-feira, 20 de maio de 2010

Pela corrida presidencial...

(Por Luísa Zottis)

A corrida presidencial deste ano está acirrada, e tem se mostrado, de certo modo, desfavorável à pré-candidata do PT, Dilma Rousseff. De modo geral, a imagem que se tem construído acerca da ex-ministra da Casa Civil é a de uma mulher despreparada para o cargo o qual disputa, sem um próprio plano sólido de governo, e que usa o portfólio do atual presidente – que é do mesmo partido – para se firmar na corrida presidencial. Porém, ao analisarmos que o jornalismo não se mostra parcial de um modo explícito em relação à candidata (nem aos demais), não necessariamente todas as matérias a seu respeito apresentam um tom negativo ou positivo. Muitas delas são notoriamente neutras em relação aos aspectos apresentados.

Como exemplo de matéria neutra, podemos citar a que foi veiculada no Jornal da Band, dia 5 de maio, de seguinte título: “Candidatos à presidência buscam apoio de outros partidos”, a qual apenas explicava-se que ambos os principais pré-candidatos, José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT), foram em busca de apoio político para suas candidaturas. Sem qualquer entonação de crítica ou aprovação, a matéria é de gênero meramente explicativo e técnico, conforme constatamos ao analisá-la. Além desta, as outras matérias de gênero neutro publicadas nos diversos veículos sobre Dilma, em sua maioria, apresentam basicamente essas características – explicação técnica, sem comparações, críticas ou qualquer entonação tendenciosa a seu respeito, o que não permite ao leitor que este analise aspectos relevantes para sua formação de opinião, mas agregue apenas informações adicionais não tão importantes para a decisão final, na urna.

Já a matéria publicada no jornal Folha de S. Paulo, no dia 17 de abril, de título “Dilma acena com incentivo a empresários”, é de gênero muito positivo para a pré-candidata. A matéria mostra que Dilma tem a intenção de se alinhar a empresários, auxiliando-os e apoiando seus projetos, visando a geração de empregos e a garantia de estabilidade do setor industrial. Além disso, é clara e sucinta em relação a seu conteúdo. Especifica o fato sem pôr em cheque a integridade e a transparência das propostas apresentadas pela candidata, o que contribui positivamente para que a percepção do leitor seja favorável à posição da pré-candidata.

Por outro lado, uma matéria intitulada “Campanha começa em clima quente”, veiculada na revista IstoÉ do dia 14 de abril, não é nem um pouco favorável à ex-ministra. Conforme publicado, a corrida presidencial tem forte caráter de ataques entre os principais presidenciáveis (tucanos e petistas), marcado pela presença de desconfianças, contradições, falsidade e, principalmente, provocações e afirmações irônicas por parte das afirmações de ambos. A notícia, porém, mostra-se desfavorável também ao ex-governador de São Paulo, José Serra. Enquanto partidos de oposição classificavam atos de Rousseff como oportunistas e de encenação, a petista afirmava sobre Serra: “A oposição é lobo em pele de cordeiro”, referindo-se a elogios que este fazia ao atual governo do país. Uma fonte da matéria, em contrapartida, opina: “Normalmente, quem bate perde”, o que mostra que ambos os pré-candidatos estão errados em construírem suas campanhas em clima de ataques - posição que é mal vista pelo leitor da notícia, que é mais do que isso: é o eleitor.

3 comentários:

  1. tu escreve pq quer isso?
    para de viajar..............

    ResponderExcluir
  2. Uau. O texto é ótimo, tua escrita tem identidade e caráter... Muito legal ^^

    ResponderExcluir
  3. Olhaí, vc ficou quietinha na aula só anotando tudo pra poder postar. Tá ótimo!

    Seu texto tá bem legal. Parabéns.

    ResponderExcluir